Buscar
  • Fernanda Braga

A importância do olhar cuidadoso no ambiente pessoal e profissional

Leonardo Da Vinci disse que os olhos são janelas da alma, já pensou sobre isso? No quanto o olhar pode revelar uma série de conteúdos? A visão é um dos cinco sentidos e está relacionada à percepção do meio externo e interno, o que proporciona uma variedade de sensações e emoções. Por vezes, diante da rotina diária, o hábito e a habilidade de praticar o olhar cuidadoso passa despercebido e vai se perdendo. Alguns olhares são de fácil detecção, pensando em exemplos extremos, olhe para um filho que encontra-se no velório de um de seus pais, facilmente identificaremos tristeza em seu semblante. Agora olhe para um jovem que conseguiu seu tão sonhado primeiro carro, você verá muita animação e satisfação ali, mas e no dia-a-dia? Nas rotinas dos ambientes de trabalho por exemplo, você consegue pensar em verificar o olhar e sentimentos que permeiam seu colega de trabalho ou seu colaborador, aquele com o qual você convive diariamente? Podemos entender esse texto como um convite para que essa atividade volte a fazer parte do seu cotidiano também no ambiente de trabalho, local em que você passa grande parte do tempo e desloca tamanha energia. Com o novo cenário que se apresenta, tempos de pandemia, os olhos ganharam destaque especial, já que o nariz e boca estão cobertos pela máscara, pense nisso como uma nova possibilidade de exploração, como uma nova forma de percepção que se desloca não apenas dos olhos enquanto um dos órgãos físicos, mas também do olhar como fonte de cuidado. Quantas vezes você já se deparou com um colaborador que aparentemente não está bem e pensou que ele não deveria misturar questões pessoais com questões profissionais, ou até mesmo pode ter tido a experiência de ver um dos membros da família chegar em casa descontando as frustrações do trabalho e pensar que aquilo era absurdo, pois problemas profissionais devem ficar apenas na “firma”. A divisão de espaços, sejam profissionais ou pessoais é algo que conta muito sobre as formas de organização prática e emocional de como nos relacionamos, conseguimos exercer muitos papéis simultaneamente, como por exemplo o de ser cuidado e ser cuidador ao mesmo tempo, mas muitas vezes não observamos essas questões, a dinâmica da vida vai se impondo e simplesmente seguimos o fluxo. Porém quando você coloca novas possibilidades em destaque, quando há de fato interesse e engajamento nessa ação ocorre a percepção de responsabilidade dentro das atuações no qual se deseja atingir e possíveis mudanças podem começar a acontecer. Dessa forma o olhar cuidadoso tem a pretensão de alertar para formas diferentes de se portar em nossa rotina, a observação do olhar não precisa ser apenas em momentos extremos, quando você ou alguém grita, chora, surta, ou se alegra grandemente. O olhar cuidadoso pode estar voltado para pequenas ações que fazem toda diferença, para uma conversa sincera que as vezes é tão difícil e tão necessária. Nunca esqueço o dia em que estava no meio de um grande desafio de trabalho e não conseguia achar a solução, minha coordenadora me convidou para sair daquele espaço e ir dar uma volta, andamos por quinze minutos, conversando sobre coisas aleatórias, terminamos com um copo de água bem geladinha, ao voltar para o ambiente de trabalho encontrei minha resolução. Naquele momento descobri que ser técnico é tão importante quanto ser empático e ter pessoas com quem contar deixa nosso caminho mais leve, naquele dia eu fui a pessoa que precisava ser apoiada, mas percebi que também posso ser a pessoa que dá apoio. Que nosso olhar cuidadoso possa estar por perto sempre que precisarmos e também sempre que alguém precisar, afinal o que é a vida senão as trocas que realizamos o tempo todo.

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo