Buscar
  • Fernanda Braga

“Dá pra congelar pimentão???”

Essa foi a pergunta que me chamou a atenção ao observar um diálogo na fila do supermercado. Aparentemente o pimentão estava em promoção e duas mulheres estavam animadas com isso, uma delas carregava um saco cheio deles. Ao ouvir a pergunta, eu me imaginei embrulhando o pimentão em papel alumínio e o colocando num cantinho do freezer, mas mudei de ideia quando ouvi a outra mulher responder: “olha aí no Google”. Senti uma imensa vontade de abrir meu celular e descobrir se havia algum processo diferenciado para congelar pimentão, e qual não foi minha surpresa ao verificar que para congelá-lo de forma adequada o ideal era seguir um passo a passo com dez instruções bem detalhadas.

Justamente na semana em que a Paralelamente escolheu falar sobre informação, conhecimento e autorresponsabilidade meu radar para a temática estava aguçado, sendo assim, ao ouvir o diálogo, não pude deixar de refletir em como temos facilidade no acesso de informações e na quantidade de explicações para qualquer coisa que pretendemos descobrir. Nunca recebemos tantos conteúdos como atualmente, e não deve ser coincidência o aumento de ansiedade na mesma proporção. É como se o cérebro associasse o bombardeio de informações que chega com conhecimento, se a máquina responde tudo na palma da mão, a impressão passa a ser de que há necessidade de saber tudo imediatamente, tendo como referência muitas vezes, a experiência do outro. Mas o que estamos fazendo para administrar a quantidade de conteúdos que chega?

Não podemos negar que é confortável ter acesso a notícias e materiais que nos ajuda a desvendar as mais diversas dúvidas que possamos ter, mas há que ter atenção aos desserviços que chegam disfarçados de conhecimento e informação. E o cuidado deve ser redobrado para questões que envolvem riscos de saúde, riscos psicossociais e questões de segurança, isso também desemboca em questões de autorresponsabilidade. Somos seres de interações tecnológicas, estamos nas redes, somos ao mesmo tempo consumidores e fornecedores de conteúdo, por isso absorver e disparar notícias com cuidado e consciência é de responsabilidade única e instransferível. E quando falamos da disseminação de conteúdos não se trata apenas de redes e mídias sociais, mas também de como nossa postura se reflete em ambientes familiares, sociais e de trabalho.

Eu não sabia que era necessário retirar as sementes para congelar o pimentão, aprendi mais uma hoje.

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo