Buscar
  • Fernanda Braga

Educação Emocional no Ambiente de Trabalho. Para quê? e Para quem?

Educação é uma palavra tão ampla com um conceito tão bonito, afinal, aprender está relacionado a aquisição de novas habilidades, é a ponta inicial e final do percurso chamado vida, pois o aprendizado se inicia no nascimento e só finda com a morte. Estamos o tempo todo em processo de conhecimento, aprendendo como se comunicar, se preservar, se destacar, e tantas outras formas de conhecimento que necessitamos e somos expostos.

Geralmente, na família aprendemos nossos primeiros passos, aspectos de comportamentos, de moral, de proteção. Na escola, além do reforçamento de aspectos morais, aprendemos a base de conhecimentos técnicos primários, ler, escrever, relacionar-se. Com a sociedade aprendemos a nos portar, a entender os limites de espaço, a fazer parte de uma cultura e se inserir nela. Todos esses campos mencionados, família, escola e sociedade são cercados de regras, de conceitos emocionais e intelectuais, o desejo de pertencer perpassa por todas essas áreas e são etapas da vida que visam possibilitar a independência do ser e a busca por aceitação e bem estar.

Outro patamar bastante importante é o aspecto profissional. O trabalho é algo grande, de suma importância, de onde sai o sustento, as interações, as realizações. É o lugar em que se passa muito tempo e onde há grande investimento de dedicação e energia. Dessa forma, seria bem assertivo reforçar que o ambiente de trabalho precisa ser um espaço de desenvolvimento pessoal e um local muito propício para prática de nossa educação emocional, pois é um ambiente de imersão no convívio com as diferenças. Respondendo as perguntas provocativas do enunciado desse texto, podemos perceber que um profissional que pratica boa comunicação, que promove bons comportamentos, que conhece e regula suas emoções, que busca desenvolvimento constante, que respeita e se faz respeitar é um profissional de sucesso, um ser responsável e qualificado, some a isso, uma pessoa com habilidades técnicas e conhecimento eficaz sobre o que faz. Tudo isso parece ser uma grande receita de sucesso não é mesmo? Mas será que é possível? Será que existe em algum canto pessoa tão talentosa assim? Com propriedade de vivências com pessoas, posso te dizer que os processos de educação emocional podem trazer um diferencial gigantesco na vida profissional, e sim, a pessoa com todas essas qualificações existe e ela pode ser você, ela pode ser o seu colega de trabalho que é tão bom com a parte técnica mas não consegue se relacionar adequadamente, pode ser o funcionário que tem incrível habilidade com pessoas mas precisa de desenvolvimento técnico, e pode até ser aquela pessoa que se vira bem nos apectos sociais e emocionais, mas pode ser desenvolvido para aprimorar resultados. Então afirmo que que a educação emocional é para todos e nos ajuda a encontrar formas de realizar as atividades de formas mais consciente, com mais sentido, com mais prazer, e consequentemente tudo isso tende a melhorar índices de produtividade e sobretudo de maior bem estar.

O investimento de educação emocional no ambiente de trabalho não retrata apenas uma empresa com bons funcionários, mas também eleva a possibilidade de compartilhar com o mundo melhores pais, melhores filhos, melhores cônjuges, melhores cidadãos, enfim.

Aprendemos muita coisa na vida e educação emocional é uma delas!

16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo