Buscar
  • Fernanda Braga

Estresse ocupacional e desequilíbrio emocional

Quando nos referimos ao estresse, estamos falando de algo que está presente no dia a dia de muitas pessoas e pode vir a afetar tanto a saúde física quanto a saúde psicológica.

Muitas vezes, devido ao maus hábitos mentais, criamos problemas, ou pioramos os que já temos, ou dificultamos a tarefa de encontrar soluções, e somos influenciados a erros de interpretação ou de julgamentos dos outros e de nós mesmos. Provocando sentimentos ou emoções que nos levam a tomar decisões nas quais podemos vir a nos arrepender ou impedimentos de sermos assertivos ou de melhorar a qualidade de vida.

Será que o estresse pode ter algo a ver com isso? Já parou para pensar que ao sofrermos sequestro emocional ocorre um domínio do pensamento emocional, e nesse momento há maior probabilidade de cometermos erros, nos metermos em apuros, e normalmente nos arrependemos de algo que foi dito ou realizado?

A maneira como olhamos e interpretamos as situações pode facilitar ou tornar mais difícil o momento vivido, pode nos deixar calmos ou estressados, “perder a cabeça” ou nos precipitar.

E quando nos referimos ao ambiente de trabalho, a fonte estressora pode estar aliada às exigências de trabalho como, horas extras, conflito entre demanda de trabalho e a vida pessoal, conflitos de papéis, rotinas desgastantes, etc. A ausência de recursos externos como suporte do líder ou dos colegas, feedbacks construtivos, bom ambiente de trabalho, ou de recursos internos como estabilidade emocional, otimismo, flexibilidade e adaptação podem fazer toda diferença.

As exigências das atividades realizadas pelo colaborador são consideradas neutras, não são nem positivas, nem negativas, porém podem facilitar o surgimento de sentimentos positivos aumentando o engajamento no trabalho, através do prazer na realização de tarefas como gerar estresse quando forem elevadas ou desproporcionais.

Portanto, estratégias ativas de coping que são os recursos cognitivos, emocionais e comportamentais disponíveis para enfrentar as exigências internas e externas da situação, interferindo não apenas na sua saúde mental, mas também na saúde física e no bem-estar social, é a maneira mais eficaz para reduzir o estresse e obter uma autorregulação emocional. Elevar sua resiliência na prática profissional, descobrir os seus valores no trabalho e encarar seu trabalho de forma diferente, são algumas ações eficientes para obter mais recursos importantes para o seu trabalho, lidar com os desafios diários e aumentar o seu engajamento no trabalho.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo