Buscar
  • Fernanda Braga

Uma palavra chamada Generosidade e sua vizinha chamada Gratidão

Estou indo para cama bastante decepcionada, estou subindo a escada desanimada, pensando que me sinto assim não porque o dia foi tão cansativo ou porque não consegui terminar aquele relatório, isso já é quase normal nesses dias agitados que estou vivendo. O motivo da minha chateação, é que pelo terceiro dia consecutivo esqueci de comprar o remédio de uso contínuo que acabou. Dois dias antes de finalizar a cartela do medicamento eu já comecei a preparar meu cérebro para providenciar a compra, nessa lógica, estou atrasada há cinco dias. Passei na frente da farmácia pelo menos umas quatro vezes e ainda assim, meu cérebro não deu conta de reconhecer a necessidade de parar e resolver algo que envolve meu autocuidado. Cheguei no quarto carregando a garrafa de água que levo toda noite comigo, e me puni mais uma vez por chegar à conclusão de que de novo não bebi a quantidade suficiente para meu peso, menos dois pontos para minha cerimônia de autorresponsabilidade e então, para cutucar um pouco mais minhas feridas já em prejuízo, lembrei que não consegui inserir os exercícios físicos daquele plano online que comprei há uma semana, que horror, parece até sessão tortura. Na tentativa de compensar meus relapsos, resolvi caprichar na escovação, passei fio dental e escovei do jeitinho que o dentista ensinou, também passei o creme noturno, o mesmo que eu não tive coragem de passar ontem.

Me deitei na cama e respirei fundo, tentando compreender a irritação das não realizações com bastante racionalidade, entendendo que as atividades que eu consigo realizar são aquelas nas quais eu jogo mais luz, não significa que as que ficaram no escuro hoje são menos importantes, mas naquele momento, por algum motivo, outras atuações se destacaram. E o que tudo isso tem a ver com o título do blog? É que a noite ainda não terminou, e meu pensamento ainda está em atividade, dessa forma eu resolvi não dar continuidade para a revolta e me perguntei o que fazer com o que não deu certo? A resposta veio imediatamente: eu tento de outro jeito amanhã, sendo grata por tudo o que consegui realizar e construir hoje e sendo solidária comigo, afinal eu realizei tantas coisas importantes até esse momento, e amanhã posso fazer mais uma porção delas, sendo generosa o suficiente com minhas limitações, entendendo que possivelmente não consiga resolver tudo que minha mente vai processar, mas sigo construindo um pouquinho por dia. Generosidade e gratidão chegam se juntando para me trazer uma boa noite de sono. Amanhã, será um dia melhor se eu puder compreender que eu consigo muito do que eu quiser, mas não o tempo todo. Estou colocando o relógio 20 minutos mais cedo para passar na farmácia, se ficar curiosa (o), ao acabar de ler, me pergunta se eu consegui, prometo que vou me empenhar😊 E você? Que atividade está precisando aprimorar? Aproveita o embalo e vamos juntos!!!

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo